Suave entardecer
Cleide Canton Garcia


Mais um dia está findando
e, nos caracóis dos meus pensamentos,
vejo longínquos os meus tormentos.



Como é bom
sentir a paz almejada,
a mágoa afogada,
a saudade encolhida,
a revolta adormecida,
o sonho retornando,
o desejo aflorando...



Como é bom pensar em você
como água passada
num leito que secou,
sem ressentimentos,
sem constrangimentos...
És a personagem apagada
da novela 
em que fui estrela aplaudida
e, como tal,
percebo que ainda brilho
no palco da vida.



Como é bom sentir
que as flores me sorriem,
desabrochando 
no despertar da primavera.



Neste entardecer do dia
ecoa a melodia
que me toma toda
e me despoja
do orgulho e da vaidade.
Senhora
e segura da minha verdade,
espero pela lua
que hoje brilhará só para mim.

Proibido a cópia sem autorização da autora

 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 03/09/2003.

 

  online