SE NÃO FOSSE...
Wilson de Oliveira Carvalho
 
 
Se não fosse este distanciamento,
esta forma de amar tão ausente,
esta falta de presença
extremamente agressiva,
contendo aspecto de sentença...
 
Se não fosse a falta de colóquio
a respeito de nosso sentimento,
se não fosse a frieza das palavras,
tu sabes que eu te amo...
sempre pronunciadas ao acaso.
 
Se não fosse o desespero,
os gritos ecoando no infinito, 
ah, se não fosse os desejos perdidos,
e consumidos por predadores vorazes do tempo...
 
Se não fosse eu e você,
talvez o airoso sentimento,
não fosse agrilhoado em um voraz cativeiro,
não  seríamos os náufragos do oceano da vida...
 
 
 
SE HOUVESSE
Cleide Canton
 
 
Se houvesse
essa presença terna e constante,
esse doce perambular pelas minhas esquinas,
essa manifestação tolerante
às minhas ousadias peregrinas...
 
Se houvesse
a troca franca de desejos comuns,
a falta de apego às aparências,
às vaidosas falhas das inconseqüências,
aos vícios das evidências...
 
Se houvesse
mãos unidas a trilhar caminhos,
confiantes  naquele mesmo sol
que sempre acaba por brilhar
após o ribombar dos trovões...
 
Se houvesse,
ainda que por instantes, o "nós dois",
cantando no mesmo tom as mesmas canções,
talvez descobríssemos a mesma euforia
que passeou pelas nossas noites, um dia!
 
SP, 07/08/2008
10:50 horas
 

 

   FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA
 
Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.
 
 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

Página editada por Cleide Canton em 10 de outubro de 2008

online