Por favor, hoje não
Cleide Canton Garcia


Hoje espero
que não te lembres de mim.
Não me mostres o sorriso largo
e os olhos brilhantes de emoção.
Não!
Não me venhas contar
do lindo dia que tiveste,
nem das emoções que sentiste.
Não me digas nada!
Hoje não quero ser
aquela mulher que te ouve,
que apóia teus atos,
aceita tuas desculpas,
apaga teus erros,
seca tuas lágrimas,
prepara tua bebida,
decide a tua comida,
escolhe o teu perfume
e ainda seca o banheiro
que deixas molhado.



Não quero
arrumar a tua cama,
afofar teu travesseiro
nem levar a roupa suja no roupeiro.
Não quero ser teu complemento.
Quero, simplesmente, ser eu por inteiro!



Não faço o jantar
nem como pizza.
Preparo-me, quero sair
e não é para um lugar qualquer.
Esqueça o cinema,
prefiro o teatro,
e logo após, leva-me para dançar.
Pretendo ser servida
e nem é preciso que seja por ti.
Nem tentes economizar!
Não gosto de caviar,
mas não me negues
o champagne francês.
Trabalhe por ele um mês.



Final de noite.
Jogo no lixo
tuas meias e sapatos.
Deixa onde quiseres
tua camisa de seda
e a calça de linho belga.
Hoje demorarei no meu banho,
exagerarei no meu perfume
e dormirei em lençóis de seda.
Por favor,
vê se te arranjas no sofá.
Deixa-me pelo menos sonhar
que tenho ao meu lado
alguém que saiba me amar!



SP-08/10/2003
20:34 horas

Proibido a cópia sem autorização da autora

 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 19/11/2003.

online