Poderia ser 
Cleide Canton Garcia


Poderia, certamente poderia
ser para ti todo o meu amor.
E a quem mais eu o daria?
Onde encontrarei, afinal,
alguém tão meu bem
e, decididamente, tão meu mal?



Fiz-me escrava dos teus sonhos,
carreguei os teus fardos,
defendi os teus deslizes
contra todos os juízes,
estudei os teus preceitos,
aceitei os teus defeitos,
engoli tuas desculpas,
apaguei as tuas culpas
e me deixei acorrentar
pelas incoerências do teu amar.



Talvez tudo pudesse ser diferente
e não existisse tanta mágoa entre a gente.
Quem sabe a alegria dos nossos cantos,
a ousadia dos nossos prantos,
a febre dos nossos anseios
driblados por todos os meios,
as conversas despretensiosas,
as juras maliciosas,
o toque da tua mão,
o palpitar do meu coração
pudessem ser para nós
constantes numa louca paixão.



Poderia, sim,
ter sido um amor sem fim...
Agora,
rio afora,
nada mais resta 
senão seguir...



SP, 08/07/2004
18:07 minutos

Proibida a cópia sem autorização da autora



 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 22/07/2004.

  online