PAGO O PREÇO
Cleide Canton Garcia


Canto sentida,
coração amargurado
pelo amor magoado.
Marcas da ferida
que eu não quis
pois nada fiz.



Alimentei a beleza
de peito aberto,
caminho incerto
sem firmeza.



Colhi flores,
recebi carinhos,
evitei espinhos,
morri de amores.



O tempo passou...
A emoção feneceu,
o amor não viveu,
a mágoa ficou.



Pago o preço!
Joguei sem blefar,
sem medo de errar,
desde o começo.



Recomeçar
sem mais demora,
o momento é agora
sem medo de amar!

Proibido a cópia sem autorização da autora

 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 27/08/2003.

 

 

online