O que sou, afinal?
Cleide Canton


Levo-te a delírios constantes,
terras virgens, distantes,
rios de cristalinas águas,
lodos repletos de mágoas,
matas densas e floridas
cascatas desconhecidas...



Faço-me pensamento ,
seguindo livre e solto ao vento...
Faço-me insinuante,
delírio constante,
invadindo a tranquilidade do teu sono,
trazendo-te, no verão, o outono
e as chuvas das tuas primaveras.
Sou a causa das tuas quimeras.



Cultivo tua ansiedade e teu medo
e de mim fazes segredo.
Reviro os lençóis da tua cama
e acendo no teu peito a velha chama.
Faço renascer o teu ciúme
e a lembrança do velho perfume.



Sou teu suor mais febril.
Queres me deixar
quando não consegues me alcançar.
Queres me sufocar
quando faço tua lágrima rolar.
Trocas-me por outro quase igual
que sou eu mesmo, afinal.
Sentes-te vazio quando te deixo sozinho
e corres à procura do meu carinho.



Sou a causa do teu despertar risonho.
Sou nada mais que o teu SONHO.



SP, 01/03/2004
00:34 horas

Proibida a cópia sem autorização



Web designer Ana Amélia Donádio/romantichome
Página editada em 05/03/2004.
®DireitosAutoraisReservados©

  online