Jamais saberás
Cleide Canton Garcia


Jamais saberás
deste amor que guardo trancado
e não declaro 
nos versos que afloram
quando penso em ti.



Jamais saberás
das lágrimas que deixo rolar
ou dos sorrisos
que teimam em se mostrar
quando te vejo por aqui ou por ali.



Jamais saberás
de qualquer dos meus desejos
e dos anseios disfarçados
por todos os teus beijos.



Jamais saberás
que meus carinhos retalhados
se fossem, um a um, juntados,
mostrar-te-iam que reservo
para ti somente
um amor sem tamanho
que em tudo se faz presente.



Jamais saberás
que és o dono sem concorrência
deste coração
que se perde em ais com tua ausência.



Jamais saberás
que o mundo inteiro eu te daria
se soubesse
que apenas uma chama arderia,
pequenina que fosse,
no teu coração amante,
verdadeira que fosse,
mesmo que por um instante.



Jamais saberás?
Engano meu!
Tu já leste tudo no dia
em que meu olhar pousou no teu.



SP, 12/02/2004
13:32 horas

Proibida a cópia sem autorização da autora

  

 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 19/04/2004.


  online