IRRACIONAL
Autora: Cleide Canton Garcia


Sou a Carolina

que o tempo não viu passar.

Mas dele restaram os sonhos,

ilusões que acalentam

e que só a mim dizem respeito,

por direito.

 

Choro e do meu pranto

faço meu lamento.

Não quero da vida

ser expectador ou devedor.

 

Para o inferno mando meus calores

que recordam meus amores.

Ira dos mais vividos!

Olho minha ansiedade como reparo

do caldo que derramei.

 

Folheio o jornal

e vejo as mesmas notícias

importantes ou banais,

todas iguais!

 

Abro as cortinas

para ver o sol se por.

Os astros do céu são os sonhos

que ainda não realizei.

 

Aguardo o toque do telefone

pela madrugada afora.

Se não tocar, não me importo!

 

As ondas quebrando na praia

me acordam para a vida.

Quero sentir os pingos da chuva

e ter coceiras no nariz.

 

Visto meu preto básico,

perfeito para ocasiões especiais,

e meu jeans desbotado, para nada.

Deixo florir meu sorriso

para esquecer dissabores!

Exigirei que me tratem,

com respeito,

de senhora,

nem velha nem tia.

 

Esqueci você!

O meu lado irracional

comanda meu viver!


 Inspirado nos versos "Racional" de Rosa Pena


®DireitosAutoraisReservados©
Proibido a cópia sem autorização da autora
.

 

 

                     

                  

Página editada em 24/02/2003.
Web designer Ana Amélia Donadio/Romantic Home
romantichome@terra.com.br

  online