ESCRITORES E POETAS

Cleide Canton

 
          Não podemos mudar o tempo que passou, nem com a força do pensamento, amainar o compasso dos grãos que se esvaem na ampulheta... Cada grão, cada segundo, inexoravelmente, segue o curso natural e preciso. Não podemos com o poder do tempo e, se esse poder tivéssemos, talvez nada alteraríamos.

          Muito tempo já se passou desde que comecei a escrever e, nesse tempo todo, entre erros e acertos, creio que aprendi bastante sobre esta arte sem preço. Não que essa aprendizagem tenha me levado ao sucesso. Estou muito longe dele, mas sinto-me com força para dizer alguma coisa aos novos escritores e o faço para que não sofram ou não se decepcionem. São frutos de experiências minhas e pode ser que alguns aproveitem. Antes de tudo, gostaria que soubessem que cheguei a rasgar um livro pronto, muito bem prefaciado, apenas por uma crítica mal elaborada.
         

        Um canto é típico de momento, onde as palavras nas confissões, nos lamentos, nas preces, nos sucessos e nos fracassos são lançadas para aqueles que delas fazem uso, para os que apenas criticam, para os que realmente participam e para tantos olhos que sequer entendem o que tentam ver.

      Os que se dedicam à escrita não devem ficar assustados com as barreiras. Elas existirão sempre, mas são frágeis e transponíveis para quem age com segurança. Melhor é acostumar-se a elas e jamais permitir que impeçam o crescimento pessoal, que deformem o estilo (mesmo que ainda em esboço) ou que deturpem a personalidade.

        Escrever sobre aquilo que não se acredita, que não se tem argumentos, simplesmente por escrever, não leva a lugar algum. Quem escreve, escreve sobre qualquer tema porque é capaz de perceber o todo e as partes. Não há limites para a percepção e aí reside um campo vastíssimo que deve ser explorado. Uma ótica diferente sobre um mesmo tema, desde que coerente, tem valor inestimável.

          Se escolher um tema que não domina totalmente, procure mais informações. Leia o suficiente para se sentir apto a mostrar a sua visão. Aí então, escreva.

          Inexiste o escrever sem preocupação com a linguagem. Quem escreve é obrigado a observar as regras da sua língua. Mostrar despreocupação com a forma e só se preocupar com o conteúdo é desrespeito para com o leitor, um descuido imperdoável e não há justificativa que convença do contrário.

          Se estiver inseguro quanto à linguagem que usou, peça ajuda a quem você considera mais experiente. Até os melhores escritores passam por revisão de texto. Garanto que ninguém recusará o seu pedido. Se for pessoa de sua confiança, que ela seja também o seu termômetro. Exija franqueza sempre. Claro que você vai ouvir e analisar tudo com frieza. Se escutar algo como: "isto é conversinha de telefone", "está bonito, mas infantil", "está muito duro, muito seco", "isto é um texto e se quiser poesia dê-lhe ritmo, cadência, melodia", "enriqueça isto pois está muito pobre", e outras tantas observações e não conseguir entender o que lhe está sendo solicitado, peça um exemplo. Vai ver como fica mais fácil. Quem tem condições de criticar tem também condições de lhe mostrar como seria o mais acertado.

          Você já deve saber que todos que começam a escrever falam primeiro de si próprios. Todos passam por essa fase por ser a mais fácil. Falar da sua vida ninguém o faz melhor que você. Mas isto é apenas uma fase. Logo começará a escrever sobre fatos, sobre objetos, sobre atitudes. Vai até falar como se fosse um ser inanimado. Chegará o momento mais difícil, onde você começará a escrever sobre as conseqüências sem citar o fato, falar de sentimentos como se fossem independentes de pessoas. Vai abstrair. Esta é uma fase linda, infelizmente incompreendida por muitos. Nossa sociedade não gosta de pensar, não tem paciência, diz que não tem tempo  e quer tudo mastigado. Aí eu perguntaria: Seria válido você abraçar essa fase se vai ter um público muito seleto, se a maioria vai dizer " o que será que ele ou ela quis dizer com isto?" Aí, a resolução é sua. E muitos o aconselharão a voltar a escrever aqueles versinhos adocicados que você fazia no começo. Se quiser um conselho, faça de tudo um pouco. Quem já chegou ao mais difícil, faz o fácil com tranqüilidade. Mas não deixe de crescer, de aperfeiçoar-se. Esta é a fase em que se define o seu estilo e, quem sabe um dia, vai ser um modelo para quem estudará as tendências da nossa época.

          Uma outra observação: não saia por aí dizendo que detesta a prisão das rimas ou da métrica. Rima e métrica, que dão cadência e ritmo aos versos, só aprisionam aqueles que não a dominam. Constituem, segundo a maioria,  a mais pura forma de poesia. Não as deprecie. Escolha a sua forma, o seu estilo, aquele a que você mais se adapta, sem desfazer do modelo que seus pares optaram. Cada um se torna grande se der o melhor de si sem comparação com o melhor de outrem. Caso você seja aquele poeta que só considera poesia se houver rima e métrica, procure também não criticar aqueles que não se encontram nesse estilo. Cada um é livre para fazer o que gosta e não deve ser barrado. Afinal, neste nosso país, ainda temos essa liberdade, graças a Deus!

          Por último, use sempre o bom senso. Saiba que terá muitos amigos que dirão que tudo o que você escreve é maravilhoso. Desconfie, não do amigo que lhe quer bem, mas da crítica muito "amigável" que ele faz. Que isso não sirva para formar um juízo de si próprio porque sempre vai haver um degrauzinho a mais na escada que você poderá subir...ou não. Esteja atento e aprenda sempre. Ah! Se sentir confiança, não esqueça de dar uma mãozinha para os que estão atrás de você. Não custa nada e será um gesto de amor e solidariedade.

        Por fim, valorize-se. Escrever bem é uma arte difícil que poucos conseguem dominar. Se você escreve bem já tem muito valor e sempre terá o seu público. Mesmo que não consiga o sucesso (e isso é muito difícil e não depende só da sua arte) a satisfação de saber-se lido(a) lhe trará muitas alegrias.

           É por aí...

 

 
 
 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 15/11/2006

 

 

  online