TU TE FOSTE
Cleide Canton
 
EU ME FUI
Theca Angel
 
 
 
E tu te foste,
do jeitinho que disseste que irias,
sem aviso prévio, sem grandes alardes.
Prometeste que eu não sofreria
mas não disseste que eu não saberia.
 
Eu me fui
Te disse que um dia iria
Que neste dia, não saberias que partia
Não podia permitir mais sofrimentos
Bastava o que eu levava em meu peito!
 
Foste assim
como quem deixa tudo de si, aqui,
como quem não perdeu o tom
ao cantar a nossa canção
e como se não houvesse aplausos
quando as cortinas se fechassem.
 
Fui , eu me fui
 deixando contigo meus sonhos. 
Da vida, todos os  encantos, esperanças
Os soluços que não viste, não permitiram
que um som sequer eu emitisse
e eles no coração se esconderam.
 
Levou contigo
o pedaço mais bonito de mim,
aquele onde residem
os sentimentos mais puros,
onde nascem os sonhos mais belos
e onde  a esperança se deita
no berço da fé.
 
Levo comigo
cada teu sorriso, cada olhar,
tua voz que me fazia flutuar
como um pássaro livre a adejar.
Mas deixo contigo minha alegria,
nossos segredos, fantasias...
Deixo contigo de meu o amor
a mais pura dádiva a compor
sons que beijarão teu ar... 
 
Tu te foste
sem mesmo dizer adeus
ou, quem sabe, até o dia
em que nossas promessas
pudessem ser cumpridas
e nosso sonho de amor
fosse aplaudido
com um final feliz.
 
Perdoa-me, eu me fui
Não poderia dizer-te adeus,
tuas lágrimas seriam punhais
a atravessar o corpo meu.
Perdoa-me meu amor, eu voltarei
Guarda tudo o que vivemos
 Em tua alma fica a que tivemos
e este meu amor que é teu.
 
Tu te foste
enquanto eu ainda
sonhava com teu abraço,
enquanto havia sorrisos
nesta alma sonhadora,
enquanto o horizonte
ainda recebia o beijo do sol
e a chuva, tamborilando
nos vidros da minha janela,
ainda falava de vida.
 
Eu me fui
enquanto ainda adormecida
não sentirias a dor ensandecida
que me curva, me abate
que todo o meu ser invade
e nada mais me faz ver.
Tenho somente ante meus olhos
tua suave imagem entre os abrolhos
O vento despenteando-te os cabelos
e o mar tocando os teus pés.
 
Tu te foste assim,
como se nada mudasse
sem a tua presença,
como se ainda fosse verão
e os violinos tocassem
a mesma melodia
que nos fez tão felizes,
um dia...
 
Me fui assim
Como um peregrino  sem pousada
Não vejo nem mesmo a estrada...
Só ouço a nossa canção
Soando como um amante,
e em meu nome pedindo teu perdão.
Mas espere-me voltarei
e então reviveremos
todos os sonhos que contigo, sonhei!
 


 

 
FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA
 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 06 de maio de 2012

  online