D E S F I O
(Eron)
Inspirado na poesia de Cleide Canton: "Desvios"
 

Quem passou pela vida na orgia,
escolhendo prazeres vãos, errados...
Não pensou no que fez, no que fazia,
para não se redimir de seus pecados...
 
Se não se preocupou com sua história,
nem perguntou a razão por que viveu...
Não se deu conta do prazer de uma vitória
recuperando, com luta, o que era seu!
 
Fechar os olhos ao mundo sem curtir o Belo,
e recusar o Amor que não encontra paralelo
nas alegrias  que nos deu o Criador...
 
Merece pena, dó, antes de nascer...  morreu,
pois não aproveitou a luz que Deus  nos deu
contida na grandeza imensurável do Amor !
 
 
Evf/ 09.07.08-20h40
 
  
 
DOS FIOS
Cleide Canton
(Respondendo ao carinho do Eron)
 

Dos fios trançados deste amor bendito
contam-se enredos que nos agigantam
perante aqueles que morrem no mito
da eternidade que, em mentiras, cantam.
 
Do amor-verdade gritam almas tantas,
na liberdade de colher o sonho,
que não mais se encolhe em douradas mantas,
mas mostra a face de um viver risonho.
 
E quando abraçam as cores do belo,
pintam de luzes o velho castelo
que se escondeu no seio da esperança.
 
Em meio ao caos serão chamados loucos
esses heróis que, mesmo em sendo poucos,
bebem da paz na nau à brisa mansa.

 
SP, 09/07/2008
22:oo horas
 

FORMATAÇÃO SIMONE CZERESNIA

 

 

Quer enviar esta página?
Clique no Recomende.

 

Copie o código para colar no scrap do Orkut
 

 

Página editada por Cleide Canton em 08 de outubro de 2008

  online