Falei-te tantas vezes...Quantas!
Sei bem o como te encantas
com a facilidade própria dos loucos,
as belas palavras de alguns poucos,
a maciez da mão que te dá carinho,
a brancura dos velhos lençóis de linho,
a suavidade do brilho do luar
e o mar calmo de um azul olhar...



Falei-te! Mil vezes falei-te!
E quem haveria de negar 
as possibilidades de amar?



E quanto mais te tornas atrevido
mais cânticos entoam em teu ouvido.
Ensurdecido para meus ferrenhos apelos
resolveste esquecer os cansados modelos
seguindo os ditames que tu mesmo inventas
no apogeu dos teus mais de cinqüenta...



Implorei-te! Cheguei às lágrimas por ti!
Mas falido e cansado no teu vôo solo
resolveste esquecer do crime o dolo.
No amanhecer de novas ilusões
encontras-te perdido nas emoções
mas enfrentas com galhardia
as conseqüências da tua rebeldia.



Falhei contigo, peço-te perdão!
Bendito coração!



SP, 08/01/2004
23:44 horas

   


 

 

 

Web designer Ana Amélia Donádio
romantichome@terra.com.br
Página editada em 19/02/2004.

  online