BANANAS
(Najah ÐL®)
 
 
A cumbuca tava à solta
e nego achou que podia
meteu a mão e a boca
se impondo à revelia
 

Achou que devia salvar
-e o que não tinha valia-
fez questão de faltar,
quando jamais poderia
 

Queimou o filme por nada
remendando a casa torta
tivesse a boca fechada
e nunca batido na porta
 

Quem mandou se meter?
ficasse no canto, de lado,
macaco esperto a temer,
cuida é do próprio rabo.
 
 

BANANADA
Cleide Canton
 

Não meta a mão na banana
quando não for convidado.
Na velha cumbuca alheia
banana não vira melado.
 

Veja se sai de fininho.
Procure não dar na vista.
Macaco metido a besta
deixa sempre casca na pista.
 

Nem tente voltar depois
com a cara deslavada
tentando limpar a sujeira
que já apodreceu na estrada,
 

nem queira virar a mesa
desta macaca escolada.
De banana envelhecida
  já fiz muita bananada.
 

Com rabinho entre as pernas
vai procurar outro galho
pois as minhas bananeiras
não precisam de espantalho.
 
SP, 16/03/2005
15:20 hora

FORMATAÇÃO DE SIMONE CZERESNIA

 
 

 

 

 

Página editada por Cleide Canton em 11 de abril de 2006

 

  online